5 plataformas para você divulgar a sua arte

Posted on 4 min lidos 324 visualizações

O mercado de arte não se restringe ao Instagram e você precisa parar de ter medo de cada mudança do algoritmo.

HAND LETTERING COM A FRASE PRA QUE REDE EU VOU E ICONES DAS REDES SOCIAIS

Depender única e exclusivamente de uma plataforma é assumir o risco de que, por mais improvável que pareça, se ela quebra, você pode quebrar junto. Esse é um dos motivos pelo qual hoje eu tenho esse blog, o meu site/portfólio e também estou presente em outras plataformas, que, acreditem ou não, são tão ou mais interessantes quando se fala de arte.

O Instagram é uma empresa e sua única preocupação são os números, o business, a bufunfa, meu amor… E de alguma forma ele reflete o comportamento da maioria dos seus usuários. Ou você acha que enquanto você vai crescendo seu negócio por meio da plataforma ela vai ficar te fazendo caridade sem ganhar nada em troca? Pare de inocência! (hahaha)

O Instagram exige uma presença e uma dedicação absurda e, se isso não atinge a sua saúde mental e a criação de conteúdo não se tornou um fardo pra você, só continua.

Assim como nós, ele também busca se adaptar aos seus concorrentes para não morrer como aconteceu com tantos outros (orkut, msn e etc.), mas o meu ponto aqui é o quanto você se deixa abalar por cada mudança que a plataforma apresenta.

O quão sólido é (ou está se tornando) o seu negócio (sim, a sua arte é o seu negócio) e quão dependente você é de algo que tem zero controle? Pra quem e por quê você cria conteúdo? Será que, enquanto artista, vale a pena comprometer a qualidade das suas criações em troca de likes diários?

Não, eu não odeio o Instagram, muito pelo contrário, o que eu não gosto e que ME fez muito mal, a ponto de pensar em desistir de continuar fazendo o Caligrafiz, por exemplo, foi essa cagação de regra dos milhares de especialistas que surgiram nos últimos tempos e essa luta incansável para vencer o algoritmo, como se nós fossemos as máquinas e não o contrário.

Eu só continuei quando respondi essas mesmas perguntas que coloquei aí em cima e entendi qual era o meu caminho. E ele não é e não pode ser determinado por uma rede social ou por um comportamento específico que não condiz com meus valores atuais. Sim, atuais, porque como ser em constante evolução e que busca aprender o tempo todo, isso também pode mudar.

E se você é artista, profissional, amador, iniciante, das antigas, não importa, certamente você já entendeu que o mercado mudou, que o digital é uma realidade e tem o seu lado positivo, goste você ou não.

O que talvez você precise seja apenas ampliar o seu olhar e tentar adaptá-lo ao seu tipo de arte, mais do que isso, explorar tantas plataformas quantas sejam possíveis até encontrar a que melhor se adequa e faz sentido para VOCÊ. Porque, meu amor, existem dezenas de outras e cada uma com focos e objetivos diferentes.

Por isso que eu separei algumas plataformas que podem te render visibilidade e até bons clientes se você já estiver trilhando um caminho mais ativo na prospecção, por exemplo (pretendo falar mais sobre isso por aqui).

  1. Pinterest

Eu tinha que começar pelo meu queridinho!

O Pinterest não é só um lugar pra buscar inspiração, mas é também excelente para gerar tráfego para outras redes, sites, blogs e etc. Além de ainda ter uma entrega orgânica incrível e várias opções de personalização do seu conteúdo, você também pode criar seus ads (anúncios pagos) e vender o seu peixe na plataforma.

Super indico para aqueles artistas que também trabalham com rendas passivas, a exemplo de vendas de prints, arte digital, brushes, dentre outros, já que com um clique no seu post a pessoa cai direto no seu produto. Ah, e se você tem ou pretende ter um curso, não deixe de divulgar por lá.

  1. Behance

Behance é uma plataforma de mídia social da Adobe e tem como principal objetivo mostrar e descobrir trabalhos criativos. Voltado principalmente para os artistas visuais a plataforma te permite criar um portfólio e expor seus trabalhos.

A plataforma também é utilizada por Diretores de Arte, por exemplo, para encontrar novos artistas, então, estar presente pode te abrir inúmeras portas de ser descoberto e de descobrir pessoas que podem se tornar seus próximos clientes.

  1. Reddit

O Reddit é uma rede social que se assemelha a um formato de fórum. Lá é possível encontrar diversos Subreddits (subfóruns) de arte, tanto para você divulgar, como de clientes buscando artistas para desenvolver trabalhos específicos, as famosas commissions (comissões – artes exclusivas). É só uma questão de dar match!

A plataforma costuma dividir a opinião de muitos artista. Há quem prefira trabalhar só com esse modelo de venda e quem ache que os valores pagos não valem a pena. Normalmente os artistas elaboram algumas tabelas contendo o tipo de obra e valor cobrado para facilitar a negociação, mas cada artista tem seu preço e sua forma de negociar.

Ah, e se o seu trabalho tiver alguma conexão com Fanart, pode ser uma ótima!

  1. Twitch

Você deve estar pensando: “Isso não é pra Gammers?” Sim! Mas o Twitch também abriu as portas para os artistas e, mesmo os jogos sendo o foco da plataforma, se você curte compartilhar os seus processos criativos essa pode ser uma excelente oportunidade.

É possível construir uma comunidade forte e monetizar o seu conteúdo no mundo dos streammers, mas para isso também é necessário dedicação e consistência.

  1. LinkedIn

Você certamente leu a palavra LinkedIn e não entendeu nada, né? Sim, por mais que o foco não seja arte, lá você consegue encontrar os principais responsáveis pela contratação de novos artistas, seja em agências ou em empresas que você sonha em trabalhar um dia.

Assim como no Behance é possível se conectar e fazer contatos com Diretores de Arte (e outros cargos dependendo do mercado que você queira atuar) do mundo inteiro e iniciar um possível relacionamento profissional.

Essas não são as únicas ou as melhores, mas podem ser bem importantes para quem realmente quer trilhar um caminho mais independente do Instagram, o que eu super recomendo.

Tem muitas outras opções, mas isso deixaria esse post muuuito longo e a ideia não é sobrecarregar ninguém com um monte de informação. Se você gostou desse assunto, me fala aqui nos comentários que eu faço uma “Parte 2” desse post.

Um xêro,
signature

O que você achou?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comments
  • Luciana
    agosto 25, 2021

    Oi Lu, e o que você acha de site próprio + googleads ? Adoraria ver a parte 2. Muito bom seu conteúdo. Obrigada

    • caligrafiz
      agosto 27, 2021

      Oi, xará!

      Que bom ter você aqui!

      Sobre portfólio eu acho imprescindível, mas ele tem que ser feito de madeira estratégica, com seus melhores trabalhos ou aqueles com a linha que você realmente quer seguir, sabe?

      Pra mim rede social não é portfólio, principalmente porque o objetivo é só compartilhar e cada dia a gente quer compartilhar mais (se você não for estratégico aqui também você surta – haha). Pra mim rede social é sobre quantidade, portfólio é qualidade.

      Quanto a ADS eu acho que vai depender do seu foco, talvez uma prospecção direta de cliente seja muito mais efetivo, mas como eu disse, depende muito seu produto/serviço. Acho que tem que analisar cada caso de forma mais específica e talvez até fazer um teste. Experimentar fazer um anúncio num valor bem acessível de início e estudar os resultados.

      Já tô preparando a parte 2! Logo mais ela brota aqui! Hahahah…

      Um xêro e qualquer dúvida, se eu puder ajudar, tô aqui!

Fique por dentro de tudo o que acontece e ainda receba conteúdos exclusivos!

Previous
Autumn | Color Palette
5 plataformas para você divulgar a sua arte