5 dicas infalíveis para iniciantes de caligrafia

Posted on 3 min lidos 3104 visualizações

Dica #1 – Escolha bem os seus materiais!

No lettering e na caligrafia os materiais serão apenas os seus aliados, de nada adianta a melhor caneta se você não pratica o suficiente para perceber uma evolução. Material não faz milagre!

Se você está realmente começando a praticar caligrafia, se ainda está treinando os traços básicos, eu preciso ser sincera com você e te dizer que uma coleção de canetas não significa nada se você não treinar.

Nesse comecinho você só precisa de uma, eu disse UMA, caneta com ponta pincel que tenha uma flexibilidade média, porque na minha opinião canetas muito flexíveis não são as melhores para quem tá começando, e algum papel que não vá danificá-la, como o vegetal, o manteiga, ou os específicos para marcadores, que são um pouco mais caros mas vão garantir que sua caneta não desfie tão rapidamente.

Ah, além disso você vai precisar de régua, lápis (ou lapiseira, o que você preferir) e borracha para fazer suas linhas guias, elas serão suas melhores amigas daqui pra frente.

O mesmo vale pra quem está pensando em praticar digitalmente, o iPad, a Apple Pencil e o Procreate, ou quaisquer outros hardwares e softwares, não farão milagres se você não se dedicar.

Dica #2 – Treine muito!

Não se iluda achando que na primeira vez que você pegar numa brush pen vai sair escrevendo lindamente por aí. Seus movimentos precisam ser treinados repetidamente para que você comece a ganhar consistência no que faz. Os exercícios são importantes para a memória muscular. Treinar cada forma básica antes de partir para o próximo passo será primordial para que você se sinta confiante. Lembre-se que as letras surgem a partir da junção desses formas, logo, quanto mais “perfeitas” elas forem, mais chances de você ter facilidade para construir “letras perfeitas”.

Dica #3 – Mantenha o foco!

Foque no básico e vá aperfeiçoando tudo aos poucos, consistência é uma das palavras-chaves dessa arte.

Regular, itálico, bounce, caixa alta, não importa quais os estilo que você mais usa e gosta, o ideal é que primeiro você domine um para depois encarar outro. É muito bacana ver alguém que tem um repertório diversificado, mas isso acontece com o tempo, depois que você já está manjando dos paranauês básicos das coisa tudo, quando já entende cada forma e como elas se estruturam, e principalmente quando já tem uma memória muscular bem treinada.

Dominar não significa ser expert, mas sim, executar bem aquilo que você se propôs, levando em consideração as regras estruturais e especificidade das técnicas que fazem toda diferença. Por exemplo, colocar as serifas no lugares corretos, entender quais partes das letras são grossas, quais são finas; e se for usar sombra, é crucial entender como projetá-las corretamente. Em resumo é se sentir seguro com o básico porque daí é muito mais fácil dar os próximos passos.

Dica#4 – Seja paciente!

É difícil, eu sei. Eu, por exemplo, sou impaciente por natureza, mas a prática da caligrafia por si só, me ensinou que não adianta querer colocar o carro na frente dos bois. O seu desempenho só depende do quanto você está comprometido(a) com esse aprendizado e ele leva tempo, afinal você está treinando seu corpo para responder a novas habilidades. É como aprender a tocar um instrumento ou andar de bicicleta. Pense nisso!

Dica #5 – Respeite o processo!

Tenha calma! Pular etapas pode fazer você achar que simplesmente não é bom o suficiente e acabar te gerando uma frustração enorme. Caligrafia não é como a escrita do dia a dia, requer treino, técnica, dedicação, estudo. Comece pelo mais simples e vá aumentando o nível de dificuldade. 

Querer escrever uma palavra sem antes se quer entender os princípios básicos de como as letras são construídas só vai atrasar o processo, e dominar o conceito primeiro vai facilitar muito, mas muito, a sua vida. Até porque o seu cérebro e o seus músculos precisaram entender e se adaptar ao famoso mantra da caligrafia: “Sobe fino, desce grosso”.

Mesmo quem já tem um pouco mais de facilidade precisa levar isso em consideração, basta dar uma googleada, todo mundo que hoje manja do assunto vai te dizer pra começar pelas formas básicas, ou seja, pelo começo.

Me conta aqui qual a sua dúvida, se  você já aplica alguma dessas dicas no seu dia a dia e se alguma delas te ajudou.

Um xêro,
signature

O que você achou?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 Comment
  • veracosta001@gmail.com
    abril 27, 2020

    Desejaria mais aulas

Fique por dentro de tudo o que acontece e ainda receba conteúdos exclusivos!

Previous
Caligrafia Bounce: entenda como aprimorar sua técnica
5 dicas infalíveis para iniciantes de caligrafia